Biblioteca Carlos de Arnaldo Silva

                  A Biblioteca da Escola Estadual de Segundo Grau “Philadelpho Gouvêa Netto” passou a denominar-se Biblioteca Dr. Carlos de Arnaldo Silva em primeiro de outubro de 1982. Recebeu a denominação patronímica em homenagem ao ilustre homem público e amigo da escola, assim mencionado no registro escolar do livro de Ata de Inauguração número três como consta:

                                       

                       A 1º de outubro de 1982 com a presença de autoridades, familiares do homenageado Dr. Carlos de Arnaldo Silva, professores e alunos, realizou-se a inauguração da Biblioteca do Estabelecimento “Dr. Carlos de Arnaldo Silva” em homenagem ao ilustre homem público e amigo da escola. Usaram da palavra: o aluno João Luiz Sparapani, Presidente do C.C.E. (fig.1); o Diretor da Escola, Professor Armando Francisco Poles (fig.2); o Assistente do Diretor, professor José Antônio Vischetto (fig,3), em nome da Escola; Dona Emília Almeida de Arnaldo Silva (fig.4), em nome dos familiares do Dr. Carlos de Arnaldo Silva. Do que eu Tamem Jamil Cury, secretária, lavrei a presente ata que será por todos os presentes assinada. São José dom Rio Preto, 1º de Outubro de 1982.

O patronímico da Biblioteca Dr. Carlos de Arnaldo Silva representa o homem público íntegro e sério de acordo com a missão da Etec Philadelpho Gouvêa Netto.

 

 Dr. Carlos de Arnaldo Silva, nascido em 23/11/1932, Olímpia, SP, filho de Joaquim Arnaldo     da Silva e Anna Baptista      da Silva. Bacharel em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito do Largo São Francisco da Universidade de São Paulo – USP no ano de 1956, com colação de grau em 09/01/1957. Casou-se com Emília Almeida de Arnaldo Silva em 03/02/1957, tiveram cinco filhos. De brilhante carreira de Promotor de Justiça de São José do Rio Preto e de outras comarcas do Estado de São Paulo, e de Professor como do Antigo Ginásio Industrial Estadual “Philadelpho Gouvêa Netto” nos anos de1970 e 1971, na disciplina de Organização Social e Política Brasileira. Sua esposa, Emília Almeida de Arnaldo Silva, também lecionou no Ginásio Industrial Estadual “Philadelpho Gouvêa Netto” nos anos de 1970 a 1975, e a partir de 1972, no antigo Colégio Técnico Industrial de São José do Rio Preto, até o ano de 1978, quando denominado Centro Estadual Interescolar “Philadelpho Gouvêa Netto”, nas disciplinas de Português, Organização Social e Política Brasileira e Educação Moral e Cívica. No decorrer dos anos, mostrou-se sempre dedicado e comprometido com o Ensino Técnico da EESG “Philadelpho Gouvêa Netto”. Em 13/04/1982, São José do Rio Preto perdeu o ilustre Dr. Carlos de Arnaldo Silva com seu falecimento, mas permanece em memorial na Biblioteca Dr. Carlos de Arnaldo Silva da Etec Philadelpho Gouvêa Netto.

 

 

Jurema Rodrigues

Centro de Memória Philadelpho Gouvêa Netto

História da Etec 

Nossa escola começa suas atividades em meados dos anos 50....